A Lagoa Azul

Estes marcaram mesmo os anos 80 e 90. Adorei, vi umas três vezes cada!

A Lagoa Azul (1980)

Emmeline (Brooke Shields) e Richard (Christopher Atkins), duas crianças, juntamente com Paddy Button (Leo McKern), um velho marinheiro, são os únicos sobreviventes de um naufrágio numa época em que navegar era a única forma de viajar. Após ficarem à deriva por várias horas eles vão parar em uma ilha tropical que é um verdadeiro paraíso. O lugar não oferece perigo, pois não há animais selvagens, mas após algum tempo Paddy morre. Com o passar dos anos, Emmeline e Richard se tornam adolescentes e vivem em uma cabana que eles mesmos construíram. Neste período, novas emoções influenciam o relacionamento deles, os dois descobrem o amor e logo Emmeline está grávida.



De Volta à Lagoa Azul (1991)

Em virtude da cólera, Sarah (Lisa Pelikan), uma viúva, é deixada em um barco com um marinheiro e dois bebês: Lilli, sua filha, e Richard, filho de Emmeline, que tinha sido resgatado há poucos dias de um barco à deriva, onde seus pais foram encontrados mortos. Depois de vários dias o marinheiro pensa em matar os bebês para economizar água, mas Sarah não aceita tal atitude e mata o marujo. Depois de muitos dias ela chega com os bebês em uma bela ilha. Ela educa as crianças e quando elas têm quase 8 anos, ela morre. Quando Lilli e Richard se tornam jovens, se apaixonam e se "casam". Quando um navio chega na ilha alguns problemas acontecem, mas o principal é que um dos marujos tenta estuprar Lilli. O casal então questiona se quer ou não voltar para a civilização.

6 comentários:

Luizerah disse...

Clássico da Sessão da Tarde!

Impossível esquecer deste filme...

vanessa disse...

já até perdi as contas de quantas vezes vi esse filme...

Dyell Araújo disse...

eu tenho a impressão de que essa ilha tem alguma maldição. é a única forma de se explicar, a pessoa nao consegue sair dela...
mais que um romance é um filme de terror...
sei lá, beijos

Dyell Araújo disse...

eu tenho a impressão de que essa ilha tem alguma maldição. é a única forma de se explicar, a pessoa nao consegue sair dela...
mais que um romance é um filme de terror...
sei lá, beijos

Maria Thereza disse...

Esse não da para esquecer, assisti várias vezes :)

Ewerton Bastos disse...

Dificil esquecer este, passa a cada 3 meses na sessão da tarde.