80 melhores séries Anos 80 e 90

      Nenhum comentário em 80 melhores séries Anos 80 e 90

Os anos 80 e 90 foram recheados de séries inesquecíveis, sobretudo, dos gêneros sitcom – as comédias do dia a dia; dramas adolescentes; aventuras; ficção científica; drama; infantil, entre outros. Além de nos “prenderem” horas na frente da TV, os seriados ditaram moda, estilo, comportamento e, certamente, despertaram os primeiros “crushs” na vida de muitos de nós!

Confira a lista exclusiva que preparamos com os 80 seriados mais memoráveis das décadas passadas. Quais foram as suas séries favoritas? As minhas eram Dawson’s Creek; Barrados no Baile; Super Vicky; Punky, a levada da breca; Plantão Médico; Profissão Perigo / MacGyver; SOS Malibu / Bay Watch; Simpsons; Família Dinossauros; Jaspion; Changeman; O Mundo de Beakman; Mundo da Lua; Rugrats; Muppet Babies; Sex and the City e Friends.

Dawson’s Creek

Exibida de 1998 a 2003, a série mostra a passagem de um grupo de amigos adolescentes (Dawson, Joey, Pacey e Jenpara) para um “mundo adulto”. Ao contrário de muitas produções que mostravam um grupo perdido na adolescência, sem saber muito bem como lidar com as situações, Dawson’s creek tem um contexto mais maduro e foi considerada uma das melhores séries de drama para adolescentes dos anos 90. E quem por aqui também já foi apaixonada pelo Dawson?

Friends 

Friends continua fazendo história! Hoje, mais de 20 anos após sua estreia, ainda é um fenômeno de popularidade na Netflix. Seu sucesso mostra que, em sitcoms, os personagens são mais importantes do que as narrativas. Em Nova York, a comédia seguia o início da vida adulta de Ross, Chandler, Joey, Monica, Phoebe e Rachel. Com um roteiro inteligente e atores talentosos, personagens e cenas viraram modelos para inúmeras séries que surgiram após a sitcom.

Buffy: A Caça Vampiros / Buffy the Vampire Slayer

A saga da mais famosa caça vampiros de todos os tempos começou em 1997 e terminou em 2003. Buffy é uma jovem heroína caçadora de vampiros. Apesar de sentir que possui o dever de proteger as pessoas, ela deseja ter uma vida normal. Um dia Buffy descobre que sua irmã de 15 anos é a chave de um portal que permite que os diversos seres entrem na cidade e vê-se vulnerável a todas as coisas ruins. Mas a luta não pode parar. Para combater o mal, Buffy conta com a ajuda de alguns amigos, como Willow e Xander.

Plantão Médico / E.R. Emergency Room

Adorava! E você? Tendo como um de seus primeiros protagonistas o galã George Clooney, a série foi uma das primeiras a trazer uma premissa que conhecemos bem hoje e que pauta a famosíssima Grey’s anatomy. Os episódios envolvem a história de um grupo de médicos e seus dilemas dentro e fora do trabalho. E.R teve fim em 2009, após 15 temporadas.

Barrados no Baile / Beverly Hills, 90210

Um fenômeno nos anos 90, Barrados no Baile / Beverly Hills 90210 foi a série adolescente de maior sucesso no Brasil e no mundo na década de 90. Por aqui, estreou na TV Globo em 1992, sendo exibida até 1998. Você assistia? Minha irmã e eu adorávamos, inclusive, tínhamos o álbum de figurinhas! Ao todo, a série contou com 10 temporadas que mostraram o choque da mudança da família dos irmãos Brandon e Brenda da pacata Minessota à efervescente Bervely Hills.

Blossom

Figurinha carimbada nas tardes do SBT, a série começou a ser transmitida em 1990 e durou 5 anos. Protagonizada por Mayim Bialik, a Amy de The Big bang Theory, que representava uma menina de 15 anos com um humor bastante inteligente e sarcástico. Blossom mora com o pai e seus irmãos, cada um com um traço de personalidade bem diferente dela. Sendo a caçulinha da família, a protagonista é simplesmente brilhante em meio de sua família não muito convencional. A mãe largou tudo para seguir seu sonho de virar cantora e ficou nas mãos dos papais da galera a missão de tentar manter a casa em ordem.

O Quinteto / Party of five

A série conta o drama familiar do “grupo de cinco”, os irmãos Salinger, que se tornaram órfãos após seus pais serem mortos por um motorista bêbado. Sem sua base familiar, buscam trilhar seus próprios caminhos enfrentando dificuldades pessoais em temáticas como responsabilidades, relacionamentos, alcoolismo e violência doméstica.

Confissões de adolescente

Uma série brasileira bem curta, que teve suas duas temporadas exibidas entre 94 e 96, mas que nunca parou por aí. Vieram filmes e livros para coroar a produção que marcou a adolescência de muita gente que se via retratada no conflito das 4 irmãs e de todo o núcleo que se forma em volta delas. Com dilemas atemporais e um roteiro redondinho, a série que conta com um elenco que nos é bem familiar até hoje, deixou bastante saudades.

Sabrina, Aprendiz de Feiticeira / The Teenage Witch 

Contando com 7 temporadas, começando em 1996 e terminando em 2006, a série gira em torno, claro, de Sabrina, uma adolescente que mora com suas tias e com o famosíssimo gato Salem. Ao completar 16 anos, a protagonista descobre que é uma meia-bruxa, filha de mãe mortal e pai bruxo. E, assim, com essa revelação super normal no cotidiano de qualquer pessoa, ela vai tentando aprender a desenvolver seus poderes mágicos, sempre tentando usá-los para o bem e para ajudar as pessoas que amava e, ainda assim, tentando levar uma vida de garota normal no meio disso tudo.

Will e Grace

Uma das melhores comédias também nasceu na lendária década de 90. Exibida entre os anos de 1998 e 2006, a série conta a história de Will e Grace. Eles eram namorados na adolescência, mesmo quando ele não tinha muitas certezas sobre a sua sexualidade. Até que um dia eles bebem além de conta e resolvem transar. Mas, sim, bem na hora H ele se dá conta de que é mesmo gay. A maravilha é que os dois seguem como amigos inseparáveis na trama, vivendo situações sempre hilárias, e sempre juntos.

Família Soprano /  The Sopranos

Em 1999, a HBO começou a exibir uma série que é considerada até hoje por alguns como a melhor de todos os tempos, Família Soprano. Foi em 2007 que vimos chegar ao fim a saga de Tony Soprano, um Italo-Americano que começa a ter alguns ataques de pânico e procura uma psicóloga para ajuda-lo a balancear seus dilemas pessoais tanto em casa quanto na máfia que ele chefia.

Mundo da Lua

É difícil de acreditar que essa série também durou apenas dois anos. Exibida de 1991 a 1993, os 52 episódios de Mundo da lua nos levaram para um universo todo particular de Lucas Silva e Silva, onde desejos e realidade se misturam em uma narrativa que fascinava. Até hoje são diversos momentos pontuais e episódios inteiros que ficaram gravados na memória, como aquela musiquinha dos Big bad boys. Uma simples frase “Alô, Alô, Planeta Terra chamando” foi capaz de nos levar a muitas aventuras. Você gostava?

Power Rangers

Uma das maiores febres de todos os tempos teve início em 1993 e, pasmem, segue até os dias atuais. Já são 22 temporadas desde então, mudando sempre o elenco e algumas coisas, mas mantendo sempre a trama básica de um grupo de adolescentes que é convocado para combater o mal. Cada um com suas habilidades e, claro, sua clássica cor de uniforme. Sem contar aquele momento mágico que eles se juntam e formam o Mega Zord, um super robô que os ajuda a enfrentar inimigos maiores. Corre o grande risco de você ter cantando agora que os “Power Rangers têm a força, Power Ranger são heróis…” ficou na memória!

Um Maluco no Pedaço / The Fresh Prince of Bel-Air

Com uma música de abertura viciante, a produção protagonizada por Will Smith ficou no ar entre os anos de 90 e 96, narrando a história de Will, um carinha que adora rap e é todo de boas. Sua mãe acha que ele tem que ter uma educação mais rigorosa e aprender a ter um pouco mais de modos, mas com o seu jeito todo sossegadão, é Will que coloca a família de pernas pro ar e dá uma humanizada no rigoroso tio Phil e acaba passando a influenciar na rotina e no comportamento da família toda.

O Mundo de Beakman / Beakman’s World

Uma das série infantis mais nerds dos anos 90! Com a ajuda dos personagens Lester e Liza, o cientista Beakman (interpretado pelo ator americano Paul Zaloom) encantou crianças do mundo inteiro nos anos 90 ao explicar fatos científicos de maneira engraçada e dinâmica em seu show na TV. Meus irmãos e eu adorávamos! E você? No Brasil, foi transmitido pela TV Cultura e TV Record e, agora, está de volta ao YouTube.

Três é demais / Full House

Recentemente adicionada ao catálogo da Netflix e com um reboot não muito elogiado, Três é demais / Full House foi um fenômeno tanto nos EUA quanto no Brasil. Para a época, o enredo era ousado e diferente: Jack precisa arrumar um lugar melhor para morar. Ele conhece Janet e Chrissy, que o convidam para morarem todos juntos. No entanto, o síndico só permite após as duas garotas dizerem que Jack é gay.

SOS Malibu / Baywatch

Sucesso absoluto nos anos 80 e 90! O seriado americano Baywatch (SOS Malibu, no Brasil) foi transmitido pela TV Globo, de 1989 a 2001, e contava a história de um grupo de salva-vidas na praia de Santa Mônica, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Eu assistia sempre! E você?

Jaspion

Como adorava e era feliz acompanhando os episódios desse herói japonês tão querido no Brasil. Você também curtia? Lembro que colecionei o álbum de figurinhas e também tinha o disco! E você? No Brasil, o Jaspion foi transmitido pela Rede Manchete, a partir de fevereiro de 1988, juntamente com o Changeman, no programa Clube da Criança, comandado pela Angélica. De 1994 a 1996, passou a ser exibido pela Rede Record. Já em 1997 foi para a CNT Gazeta. Atualmente, é transmitido pela Band, aos domingos, durante a programação infantil Mundo Animado.

Changeman 

Outra grande série japonesa que marcou época foi Changeman. Embalados com sucessos como Ultraman, Spectreman e o famoso Jaspion, os Changeman surgiram em uma época onde as séries japonesas sobre super-heróis que combatiam vilões e monstros dominavam o mercado do entretenimento. “Dengeki Sentai Changeman” ou Esquadrão Relâmpago Changeman, nome original desta série de sucesso que fez parte da programação da TV Manchete de 1988 até meados de 1994, tendo mudado depois para a TV Gazeta e logo depois para a TV Gazeta. Changeman foi uma série produzida pela Toei Company e foi exibida originalmente pela TV japonesa Asahi entre 1985 e 1986.

Jiraya

É uma série de televisão japonesa do gênero tokusatsu, pertencente à franquia dos Metal Hero. Produzida pela Toei Company, foi exibida originalmente entre 24 de janeiro de 1988 a 22 de janeiro de 1989 pela TV Asahi, totalizando 50 episódios. No Brasil, as aventuras do incrível ninja invadiam a grade de programação da extinta Rede Manchete, fazendo com que o herói fizesse sucesso até hoje. A série diferenciou-se de suas antecessoras por quebrar o padrão dos Metal Heroes, introduzindo um herói sem superpoderes, e utilizar como temática a tradição japonesa dos ninjas, até então nunca explorada dentro da franquia.

Esquadrão Classe A / The A-Team

Se algo deu certo nas séries policiais dos anos 80 foi a mistura de ação e humor. Por isso, “Esquadrão Classe A” fez um imenso sucesso ao ser exibido pelo SBT. O grupo é formado por quatro ex-combatentes do Vietnã, obrigados a se tornar mercenários depois de fugirem de uma prisão de segurança máxima, onde estavam presos sob a falsa acusação de terem roubado milhões em barras de ouro de um banco em Hanói. No Brasil, a série venceu o Troféu Imprensa de melhor seriado em 1984.

Super Vicky / Small Wonder

No Brasil, a comédia americana “Small Wonder” foi exibida pela Rede Globo como atração da Sessão Comédia, entre 1987 e 1990. Na sequência, foi reprisada pela Rede Record, de 1990 a 1995. E, novamente, pela Rede Globo de 1995 a 2000. O enredo da série que conquistou muitos fãs era simples. Após o processo de fabricação de uma robô, Ted – o pai da família – decide levá-la para casa a fim de colocá-la em contato com os humanos, mas sem revelar a “identidade” verdadeira dela. Assim, ele inventa que Vicky foi adotada. O desafio, no entanto, era esconder — principalmente dos vizinhos — que a jovem tinha habilidades de um androide, como excesso de força e ultravelocidade. Por vezes, era preciso inventar alguma mentira para esconder isso de Harriet Brindle, que morava ao lado, e aparecia de surpresa na casa.

Profissão Perigo / MacGyver

Adoooorava ver a série MacGyver – Profissão Perigo! Ficava impressionada com a capacidade dele para resolver qualquer problema com simples objetos, como clips, fita adesiva até goma de mascar. Além, é claro, do clássico canivete e das engenhocas criadas por ele. Afinal, combater um crime sem disparar um tiro sequer parecia algo impossível, mas não para MacGyver! Você também curtia e assitia? No Brasil, a série MacGyver estreou um ano depois de seu lançamento nos EUA, em 1986, e recebeu o nome de Profissão Perigo na TV Globo. Era transmitida nas noites de segunda-feira em horário nobre, logo depois da novela das 20h. A Globo exibiu todas as temporadas da série de 1986 a 1993. O MacGyver fez tanto sucesso que a Glasslite lançou uma série de brinquedos. Você teve algum?

Alf, o E.Teimoso

Cultuada entre crianças e adultos, ALF (que signfica Alien Life Form) fez imenso sucesso, especialmente no Brasil. Inspirada no filme E.T – O Extraterreste, de Setven Spielberg, a série contava a história do alienígena ALF, que segue um sinal de rádio amador para a Terra e acaba caindo na garagem da casa dos Tanner. Os Tanner são uma típica família de classe média da Califórnia, composta pela assistente social Willie (Max Wright), sua esposa Kate (Anne Schedeen), sua filha adolescente Lynn (Andrea Elson), o filho mais novo Brian (Benji Gregory), e o gato Lucky. Dublado na versão brasileira por Orlando Drummond (a voz do Scooby Doo), ALF ganhou espaço nas manhãs de domingo em diversas emissoras.

Punky, A Levada da Breca / Punky Brewster

Uma das séries mais queridas pelo público infantil e fez o maior sucesso no Brasil. Transmitida pelo SBT, “Punky, A Levada da Breca” conta a história de Punky Brewster, uma garota abandonada pela mãe em um supermercado. Vagando pelas ruas, ela encontra o cachorro Pinky e acaba indo morar com um zelador, Arthur Bicudo, que a adota. O sucesso foi tanto que a série ganhou um desenho animado, também exibido pelo SBT no Brasil.

Chaves / El Chavo del Ocho

No Brasil, talvez nenhuma série reverbere tanto os anos 80 como Chaves. Com sete temporadas e quase 300 episódios, El Chavo del Ocho foi e ainda é um fenômeno cultural, de audiência e de público. Dublado pelo talentoso Marcelo Gastaldi, a série permanece no ar até hoje no Brasil – mais de 30 anos após a primeira exibição – conquistando novas gerações.

Chapolin / El Chapulín Colorado

Outro personagem bastante querido foi Chapolin, considerado o herói da América Latina, criado por Roberto Bolaños para contrapor os super-heróis americanos, mostrando que a verdadeira coragem não é ser um destemido, mas enfrentar seus próprios medos. Há controvérsias sobre a estreia de Chapolin e Chaves no Brasil. Alguns fãs defendem que ela ocorreu no Programa do Bozo, em agosto de 1984. No entanto, a informação oficial do SBT é que a estreia ocorreu no programa TV Pow, apresentado por Sérgio Mallandro e Mara Maravilha.

Acredite se quiser / Ripley’s Believe It or Not

Sucesso na Globo, Manchete e Band, a série Ripley’s Believe It or Not (no Brasil Acredite Se Quiser) era baseada em uma coluna publicada em centenas de jornais em todo o mundo, apresentando fatos inusitados e inacreditáveis. O programa apresentava desde fenômenos do mundo animal, lendas urbanas e informações sobre o sobrenatural até cientistas de valor histórico como Nikola Tesla. A série teve quatro temporadas exibidas pela ABC. Durante anos, Acredite Se Quiser apresentou diversos casos bizarros, como biquínis feitos de cabelo humano, um cinto de castidade da Idade Média e uma estátua criada com US$ 264 mil em notas jogadas fora pelo governo, cortadas e remontadas na figura de Marilyn Monroe.

Manimal

Embora a série tenha durado apenas uma temporada com oito episódios, Manimal se tornou aquelas produções queridas, especialmente entre as crianças dos anos 80. Exibida pela NBC, a produção contava a história de Jonathan Chase, um homem que era capaz de se transformar em qualquer animal que desejasse. Ele ajudava a detetive Mackenzie a resolver alguns mistérios que aconteciam na cidade. Manimal se destacava pelos ótimos efeitos especiais de transformação – que estavam em moda depois do videoclipe Thriller, de Michael Jackson.

Magnum

Uma das séries de maior sucesso dos anos 80, Magnum marcou a carreira de Tom Selleck, que acabou ganhando um Emmy e um Globo de Ouro. Magnum foi sucesso de crítica por não utilizar as cenas de ação gratuitamente, já que focava em uma trama esperta e bem-humorada, mostrando o protagonista como um homem marcado por traumas físicos e morais. Magnum era um ex-oficial da Marinha americana que se desligou da instituição para se tornar jardineiro e investigador particular nas horas vagas.

Miami Vice

Miami Vice fez um estrondoso sucesso no mundo todo ao acompanhar o cotidiano dos policiais na luta contra o tráfico de drogas, a prostituição e o submundo do crime em Miami, a bordo de carros conversíveis e grandes lanchas. No Brasil, a série foi exibida pelo SBT, Globo e Gazeta, mas, na íntegra, só na TV a cabo. A série teve o seu auge em 1986 e 1987 quando cada episódio chegou a custar US$ 1 milhão, batendo recordes de audiência sucessivos.

Primo Cruzado / The Best of Perfect Strangers

Transmitida pela Rede Globo, a série Primo Cruzado teve oito temporadas e contava a história de Larry Appleton, que depois de vários anos morando com sua gigantesca famíia, se muda para um apartamento onde ele tem seu próprio quarto. Mas, o sossego de Larry acaba quando o primo Balki sai de uma remota ilha na costa grega para morar com ele. A série foi exibida no Brasil enquanto o país passava por um momento complicado, com o Plano Cruzado (por isso o nome).

Caras & Caretas / Family Ties

No auge do sucesso, Family Ties ficou dois anos consecutivos em segundo lugar na lista de programas mais vistos dos EUA e transformou Michael J. Fox em um dos atores mais queridos do mundo. No Brasil, Caras & Caretas também alcançou imensa popularidade ao mostrar como o casal Elyse e Steve Keaton, dois ativistas políticos dos anos 60, conseguia lidar com o crescimento dos quatro filhos, sem se prender às amarras dos clichês de séries familiares.

O Bem Amado

Criação de Dias Gomes para o teatro, O Bem Amado foi exibida entre 1980 e 1984 – baseada na novela homônima de 1973. Dez anos após o final da novela, o próprio Dias Gomes quis criar uma série sobre Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo). A série não era uma continuação da novela, mas mostrava a relação do Prefeito com as figuras caricatas que viviam na cidade, como Zeca Diabo, as irmãs Cajazeiras, a delegada Chica Bandeira, entre outros. Mesmo com o roteiro sutil, O Bem Amado sofria imensos cortes da censura, que chegava a descartar episódios inteiros.

Armação Ilimitada

A série fez história na televisão brasileiras ao inovar na edição e na linguagem, transformando o seriado em uma espécie de história em quadrinhos. Na história, a dupla de surfistas Juba (Kadu Moliterno) e Lula (André diBiasi) são donos de uma empresa, a Armação Ilimitada, que presta serviços de dublês e trabalhos diversos envolvendo esportes radicais. Os dois tomam conta de um menino abandonado chamado Bacana (Jonas Torres), que os ajuda em algumas de suas aventuras. Os dois gostam de Zelda Scott (Andréa Beltrão), uma repórter em busca da verdade dentro do estranho jornal Correio do Crepúsculo.

Casal 20 / Hart to Hart

O nome da série acabou virando bordão para os casais cheios de afinidade. Sucesso de público em quase todos os países em que foi exibido, Casal 20 ganhou esse título no Brasil porque a tradução literal de Hart to Hart não faria sentido. Como a atriz Bo Derek estava fazendo sucesso com o filme Mulher Nota 10, tiveram a brilhante ideia de juntar um homem nota dez com outra mulher nota dez, formando um casal 20. Criada pelo escritor Sidney Sheldon, a série apresentava Jonathan e Jennifer Hart, um casal milionário que a cada episódio acabava se envolvendo com algum crime misterioso, um caso de espionagem ou um assassinato.

A Gata e o Rato / Moonlighting

Protagonizada por Bruce Willis e Cybill Shepherd, que interpretavam uma dupla de detetives particulares, a série era uma mistura de comédia, drama e romance e acabou se tornando em um dos maiores clássicos das séries de detetives e casais. A grande sacada foi inovar nos roteiros e quebrar com tudo o que se esperava de uma série policial.

A Super Máquina / Knight Rider

Protagonizado por David Hasselhoff, a SuperMáquina fez tanto sucesso no Brasil que o ator visitou o país em uma ação da Universal com o SBT. A série conquistou o público por causa de seu argumento inovador de colocar um carro falante como personagem (Pontiac Trans Am).

Anjos da Lei / 21 Jump Street

Anjos da Lei é sobre um grupo de jovens policiais que são recrutados logo após saírem da Academia de Polícia de Los Angeles para atuar como agentes infiltrados em escolas e universidades, impedindo tráfico de drogas, assaltos, estupros e outros crimes. Por serem jovens, esses policiais não têm experiência em lidar com seus próprios sentimentos em relação aos casos que investigam, principalmente quando se envolvem afetivamente.

Os Gatões / The Dukes of Hazzard 

No ar por sete anos, Os Gatões foi uma das produções de maior sucesso dos anos 1980. A série se passava no Condado de Hazzard, uma cidadezinha do interior do estado da Geórgia (EUA), onde Tio Jesse tinha um rancho em que sua principal atividade era a produção e comercialização de uísque clandestino (o famoso “moonshine”). Com a ajuda de seus sobrinhos Bo Duke e seu primo Luke Duke, eles faziam a entrega e a distribuição da bebida, até um dia em que eles foram apanhados pela polícia.

Os Simpsons

A típica família de classe média americana é satirizada no que deixou de ser uma animação e já se tornou uma referência cultural no mundo inteiro. Os Simpsons ainda diverte em virtude do humor crítico, de seu olhar sobre as dinâmicas sociais (inclusive com as previsões bizarras que acerta) e da própria condição humana. Homer, Marge, Lisa, Bart e Meg ainda são a família disfuncional mais amada da TV, e a atual 30ª temporada já os consagrou como integrantes da série mais longa da história. Eu adoro até hoje! E você?

Seinfield

Comediante dentro e fora da série, Jerry Seinfeld criou uma das produções mais memoráveis de seu nicho. Seu personagem convive em Nova York com os amigos George, Elaine e Kramer, em meio a dilemas financeiros, afetivos e sempre divertidos. Seinfeld jogou fora a cartilha das sitcoms, abandonando as convenções e desconstruindo o que o público esperava de seus personagens. Elaine é um dos pontos altos, com Julia Louis-Dreyfus (Veep) já mostrando todo o seu potencial humorístico. O final de Seinfield é o 3° episódio mais assistido do mundo.

Caverna do Dragão / Dungeons & Dragons

É uma série de animação coproduzida pela Marvel Productions, TSR e Toei Animation, baseada no jogo de RPG homônimo. A série possui 27 episódios divididos em três temporadas, transmitidas originalmente entre os anos de 1983 e 1985 pela rede de televisão estadunidense CBS. A animação da série ficou a cargo da empresa japonesa Toei Animation. A série estreou no Brasil em 1986, no programa Xou da Xuxa da Rede Globo. Na história, um grupo de seis amigos que são transportados para o reino titular e seguiram suas aventuras enquanto tentavam encontrar um caminho para casa com a ajuda de seu guia, o Mestre dos Magos (Dungeon Master no original). Um episódio final intitulado Requiem teria servido tanto como uma conclusão para a história quanto como uma re-imaginação da série caso houvesse uma quarta temporada; no entanto, a série foi cancelada antes do episódio ser feito.

Anos incríveis / The Wonder Years

The Wonder Years (Anos Incríveis, no Brasil) foi uma série de televisão americana criada por Carol Black e Neal Marlens. Durou seis temporadas na rede americana ABC, de 1988 a 1993, com 115 episódios. No Brasil, o programa foi exibido pela primeira vez na TV Cultura em meados da década de 1990, obtendo enorme sucesso. Mais tarde, Bandeirantes, Multishow e Rede 21 também exibiram a série até voltar à TV Cultura. The Wonder Years apresentou as questões sociais e os eventos históricos do final dos anos 1960 e início dos anos 1970, por meio dos olhos do protagonista Kevin Arnold (Fred Savage), que vive os assuntos da adolescência, com seu grande amigo Paul e sua paquera Winnie Cooper, também com diversas situações familiares e outros assuntos relacionados a época.

TV Pirata

TV Pirata foi um programa de televisão humorístico brasileiro, transmitido pela Rede Globo entre 1988 e 1990 e em 1992. Foi criado pelo diretor Guel Arraes e pelo roteirista Cláudio Paiva e foi um dos maiores sucessos do gênero no Brasil, com seu humor com base no nonsense e na sátira, executado por uma equipe de roteiristas que incluía Pedro Cardoso, Luís Fernando Veríssimo, os quadrinistas Laerte e Glauco, e integrantes do Planeta Diário e da Casseta Popular – que viriam a se reunir e formar o Casseta & Planeta. O sucesso também se deve ao elenco, contando com atores e atrizes renomados como Cláudia Raia, Débora Bloch, Louise Cardoso, Marco Nanini, Diogo Vilela, Maria Zilda Bethlem, Guilherme Karan, Ney Latorraca, Pedro Paulo Rangel e Cristina Pereira.

Operação Resgate / Salvage 1

Foi a série dos anos 80 que antecipou a SpaceX em décadas! Operação Resgate contava a história de um dono de ferro-velho que resolveu construir um foguete usando sucata, e recuperar o material deixado na Lua pelas missões Apollo, que seria vendido na Terra por uma fortuna.

O Super Herói Americano / The Greatest American Hero

Essa talvez seja uma das mais simpáticas séries da década. A música-tema é um delicioso chiclete e se os efeitos especiais eram paupérrimos mesmo na época, a gente perdoava. A história de Ralph Hinkley foi talvez o primeiro herói atrapalhado da TV. Ele era um professor de uma escola pública que sofre uma abdução por alienígenas.

Tal Pai, Tal Filho / Doogie Howser

Doogie Howser era tipo o Shaun, do The Good Doctor, com a diferença que nunca tomou vacinas. Filho de um médico famoso, o garoto é um gênio, com memória fotográfica, conhecimento enciclopédico. Doogie terminou o segundo grau com 6 anos, se formou em Princeton com 10, e concluiu o curso de medicina com 14 anos de idade.

O Incrível Hulk / The Incredible Hulk

O Incrível Hulk foi um seriado inesquecível que conquistou milhões de fãs de todo o mundo. A série se caracteriza por uma grande originalidade – o herói da série pela primeira vez era assustador quando se transformava em herói, fato quase inédito na história da TV/cinema. Ele era fisicamente o anti-herói. Contra todas os padrões e modas de herói, era a série mais ‘alternativa’ da década.

Hércules

Antes de ser ofuscada pelo sucesso de Xena, a série do semideus era um excelente passatempo, com enredos simples e a ação cafona que a gente tanto ama. Os roteiristas não se importavam com arcos narrativos longos nem eram muito rígidos ao usar a mitologia grega. Um exemplo são os episódios com materiais de culturas egípcias, europeias e até asiáticas. Além disso, um dos principais focos era o bromance entre Hércules e seu sobrinho e ajudante, Iolaus.

Família Dinossauros /  Dinosaurs

Adorava! E a série de televisão americana fez um grande sucesso nos anos 90. Apesar de ser concebida como um programa infantil, faz uma crítica bem humorada ao chamado “american way of life” e uma sátira da sociedade e dos costumes da classe média desse país. Produzida pela Disney em parceria com a Jim Henson Productions, entre os anos de 1991 e 1994, a série trata das aventuras de uma família de dinossauros, a Família Silva Sauro (Sinclair, em inglês), que vive em uma sociedade dominada pelos grandes répteis, onde os humanos são animais selvagens. No Brasil, teve a sua primeira exibição pela Rede Globo em 1992, em seguida pelo SBT, e anos mais tarde foi exibido pela Rede Bandeirantes. A série reestreou no Canal Viva desde o dia 21 de agosto de 2014 às 22h e pelas manhãs, às 11h.

Animaniacs

Até hoje, é difícil encontrar algo parecido com Animaniacs, antes ou depois de a animação ter ido ao ar. O desenho apresentava um humor bobo e juvenil, mas surpreendia com suas sacadas inteligentes e até educativas em certa medida. Animaniacs também foi responsável pela criação da dupla de ratos Pink e Cérebro, na época apenas personagens coadjuvantes. A animação se baseava em várias histórias curtas protagonizadas pelos irmãos Warner: Yakko, Wakko e Dot.

Os Anjinhos / Rugrats

O dia a dia de Tommy, Chuckie, Angelica e companhia fez parte de muitas manhãs na extinta TV Globinho. Nos Estados Unidos, seu país de origem, a série se manteve por 13 anos no ar e rendeu à Nickelodeon uma franquia de produções, como filmes, crossovers e continuações com os personagens já adolescentes. Na animação, acompanhamos o cotidiano de um grupo de crianças pequenas a partir de sua perspectiva; assim, situações simples viravam grandes aventuras.

Muppet Babies

Muppet Babies é uma série de desenhos animados norte americano, originalmente transmitida pela CBS em 1984. No Brasil, foi exibido no SBT nos programas infantis Show Maravilha e Sessão Desenho e dublado no extinto Herbert Richers. Na série participavam os seguintes personagens do The Muppet Show: Kermit the Frog, Miss Piggy, Fozzie, Animal, Scooter, Rowlf, Gonzo, Dr. Bunsen Honeydew e Beaker. Você curtia?

Vila Sésamo / Sesame Street

Vila Sésamo é uma série infantil sendo coprodução brasileira do popular programa de televisão infantil norte-americano Sesame Street, que estreou em 12 de outubro de 1972. A série infantil original começou a ser transmitida em 12 de outubro de 1972. A ideia de criar a adaptação do Sesame Street no Brasil foi de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (Boni), então diretor da Central Globo de Produções e de Claudio Petraglia, diretor da TV Cultura de São Paulo.

O Laboratório de Dexter / Dexter’s Laboratory

O Laboratório de Dexter é uma das maiores pérolas que o Cartoon Network já produziu. Desenvolvida pelo animador visionário Genndy Tartakovsky, a animação explorava o que poderia acontecer no laboratório de um menino-cientista. O sucesso das experiências de Dexter costumava ser colocado em risco por sua bagunceira irmã mais velha, Dee Dee. Um fato interessante: Tartakovsky também é o criador do brilhante Samurai Jack (2001).

As Meninas Super Poderosas / The Powerpuff Girls

Outro clássico infantil que se tornou um fenômeno mundial, com direito a inúmeros produtos inspirados no desenho, filmes e até versão em anime. A animação traz um trio de meninas com poderes extraordinários, criadas em laboratório por um cientista solitário. Com seu visual retrô e lutas cheias de ação contra os supervilões, a série ainda abordava dilemas comuns às crianças, como fazer xixi na cama e as dinâmicas de amizade na escola.

South Park

Nos anos 1990, South Park tinha um único objetivo: causar tanta polêmica quanto fosse possível, rendendo bastante repercussão na imprensa. A animação gira em torno da cidade-título do desenho, focando nas aventuras grotestas de quatro crianças: Eric, Kenny, Kyle e Stan. Atualmente, com suas sátiras às últimas tendências, o universo de South Park invadiu a cultura pop e até já levou um Prêmio Peabody, que reconhece serviços públicos prestados com distinção e mérito.

Beavis and Butt-Head

O seriado redefiniu o que poderia dar certo em uma animação, trazendo dois adolescentes imbecis como protagonistas. Sem qualquer empatia ou sociabilidade, seus únicos objetivos na vida eram ver TV e comer porcaria. A produção ainda rendeu um filme: Beavis and Butt-Head Conquistam a America.

Daria

Quem imaginaria que um spin-off de Beavis and Butt-Head se tornaria tão influente? Daria conseguiu esse feito, abordando as angústias dos jovens em relação às tendências e modas no final dos anos 1990. Logo de cara, Daria conquista com seu cinismo e sarcasmo nato, observando os problemas da sociedade por meio de jornais sensacionalistas. A variação entre o humor sombrio e escrachado capturou o espírito de toda uma geração, terreno em que poucas produções foram bem-sucedidas.

Freaks and Geeks

Uma das produções cult mais influentes da história, Freaks and Geeks conseguiu deixar sua marca apenas com seus únicos 18 episódios. Em um Ensino Médio negativamente sarcástico, a protagonista é Lindsay, uma jovem mudando radicalmente de estilo após a morte de sua avó. Destaque para os novatos James Franco (A Entrevista), Jason Segel (How I Met Your Mother), Seth Rogen (Casal Improvável) e Linda Cardellini (Bloodline).

Arquivo X / The X-Files

Poucas séries estruturaram mistérios tão bem quanto Arquivo X. O suspense de ficção científica lidava com os agentes do FBI, Mulder e Scully, responsáveis por investigações não concluídas envolvendo o sobrenatural. Seus bordões são famosos até hoje na cultura pop, como “A verdade está lá fora” e “Eu quero acreditar”. Umrevival trouxe novos episódios em 2016 e 2018, resgatando a dupla original interpretada por David Duchovny (Californication) e Gillian Anderson (Sex Education).

Sex and the City

Adoro! Baseado no livro de Candace Bushnell, Sex and the City (SATC) marcou época por abordar a sexualidade de quatro amigas. O seriado também tratava de relacionamentos e encontros. Com seu estilo de sitcom e telenovela, é difícil não se apaixonar por Charlotte, Miranda, Samantha e a narradora, Carrie — papel que alavancou a carreira de Sarah Jessica Parker.

Melrose Place

Lembra que Barrados no Baile foi um sucesso? Melrose Place é um reflexo disso: trata-se de um spin-off da série, localizado no condomínio Melrose, em Los Angeles, onde as vidas dos moradores se cruzam envolvidas em ambição, sexo, traição e até assassinatos. A trama começou mais leve e descontraída, com episódios mais fechados, mas críticas negativas e queda na audiência ocasionaram mudanças já na segunda temporada, que se mostra bem mais sensacionalista e novelesca.

Star Trek / Deep Space Nine (ou DS9)

Deep Space Nine (ou DS9) foi um ponto fora da curva em Star Trek. Em vez de uma espaçonave viajando pelas fronteiras do Universo, DS9 era um posto avançado fixo, onde emissários de várias raças alienígenas se encontravam. A série foi pioneira na franquia ao trazer, pela primeira vez, um oficial comandante negro como protagonista, vivido por Avery Brooks (A Outra História Americana). Além dele, a diversidade dos aliens era elogiada pela crítica.

Star Trek: The Next Generation

Quase 1 século após os eventos da série original, uma nova tripulação comanda a nave Enterprise em Star Trek: The Next Generation. Por seguir o material clássico, o seriado usa e aprofunda a premissa de exploração do Universo, criando um contexto de ação bem mais rico e convincente. Patrick Stewart (Logan) trouxe empatia e cordialidade na medida certa para o Capitão Picard, mas quem rouba a cena é o charmoso androide Data (Brent Spiner).

Batman

Unindo elementos art déco, uma arquitetura gótica e muito clima macabro, a série do Batman renovou a estética do universo de Gotham. A dublagem original ainda conta com Mark Hamill, o Luke de Star Wars, interpretando o Coringa. Sua voz para o Palhaço do Crime foi tão marcante que virou sinônimo do personagem, inclusive com a melhor risada louca que o Coringa já teve.

Cheers / Aquele Bar 

A sitcom Cheers é, definitivamente, uma série que não sobreviveu após a década de 1980, mas não dá para ignorar seus marcos. A season finale, por exemplo, ainda é um dos episódios mais vistos na história da TV. O enredo focava em um bar chamado Cheers, onde um grupo de conhecidos se encontravam para beber, reclamar, trazer histórias loucas e contar piadas. O dono do estabelecimento era Ted Danson (The Good Place), um ex-jogador de beisebol vaidoso e mulherengo.

Reymond & Companhia / Everybody Loves Raymond

Referência de sitcom sobre família versus casamento em 1990, Everybody Loves Raymond (do original em inglês) foca em Ray, um homem com a vida perfeita. Tem uma esposa ótima, três filhos, um bom trabalho, uma casa enorme. Mas, não existe vida perfeita. Do outro lado da rua moram seus pais, uma dupla desagradável que o visita todos os dias com seu irmão invejoso. Ponto para a interação fluida do elenco e suas inseguranças, que aproximam os personagens e o público.

Babylon 5

Essa produção foi uma das séries de ficção científica mais maduras de sua década. O enredo futurista acompanha a humanidade percorrendo as galáxias com outras raças alienígenas; juntas, constroem uma grande estação espacial para servir de espaço neutro a todos. É um lugar de troca, diplomacia e intercâmbio cultural. Babylon 5 ainda é um exemplo raro de seriado que terminou com a quantidade de temporadas (5) planejada desde o início, o que refletiu nos roteiros coesos.

Stargate SG-1

Ainda no gênero da ficção científica, talvez você já tenha assistido ao filme Stargate (1994), que deu origem à série de sucesso. Não era para menos, afinal a principal ferramenta do seriado podia transportar pessoas de toda a galáxia para planetas diferentes. Isso permitia uma renovação constante, sempre com alguém novo na trama ou lugares desconhecidos para explorar.

Uma Galera do Barulho / Saved by the Bell

Originalmente intitulada Saved by the Bell, a produção foi a principal sitcom de Ensino Médio no início dos anos 1990. O personagem principal, Zack, é quase uma versão de Ferris Bueller, com seus planos mirabolantes. Os amigos também se encaixam nos clichês: Kelly brilha como a garota perfeita; Jessie encarna o papel do nerd; A.C. representa o atleta; e Screech é a definição de esquisitice. A química era tão boa que todos sempre tinham seu próprio momento de brilhar.

Uma Família de outro Mundo / 3rd Rock from the Sun

Na série, originalmente chamada de 3rd Rock from the Sun, uma família de alienígenas chega à Terra e adota o visual terráqueo para se misturar entre os humanos e estudá-los. Entretanto, com o passar do tempo, eles se mostram mais interessados em suas novas vidas do que na missão propriamente dita. As risadas podiam ser contidas nessa comédia, mas o elenco se destacava com Jonathan Lithgow (The Crown) e um jovem Joseph Gordon-Levitt (500 Dias com Ela).

Felicity

Você pode até conhecer Keri Russell por The Americans, mas a atriz já foi a estrela de uma série com o nome de sua personagem. Felicity dava holofote ao crescimento durante a faculdade e à transformação de uma caloura sonhadora em uma adulta cheia de potencial. Nessa época, Russell já exibia seu talento premiado ao interpretar uma protagonista inteligente e impulsiva, que segue sua paixão de ensino médio até a faculdade e é pega de surpresa em um triângulo amoroso.

Ren & Stimpy

Se os fãs de South Park não pudessem mais assistir ao desenho, com certeza veriam Ren & Stimpy como um bom substituto. Assim como Animaniacs, o título chegou à Nickelodeon como algo nunca antes visto pelo público, apostando em uma estética bizarra de imagens, linguagem pesada, humor escatológico e muitas conotações sexuais. A produção acompanhava as enrascadas vividas por Ren, um chihuahua com emoções desequilibradas, ao lado do meigo gato Stimpy.

Mad About You / Louco por você

Se um seriado pudesse personificar o humor de relacionamento nos anos 1990, seria Mad About You. O romance entre os personagens de Paul Reiser (Aliens: O Resgate) e Helen Hunt (Náufrago) começa no estágio recém-casado, quando ambos ainda estão descobrindo os defeitos um do outro, assim como a audiência. Apesar da falta de momentos eletrizantes, a figura de Hunt se destacou, rendendo à atriz quatro Emmys seguidos.

Lei & Ordem / Law and Order

Com 456 episódios e 4 spin-offs, Law and Order (no original em inglês) tornou-se uma das séries mais influentes no gênero “investigação da semana” e uma das mais longas da história: foram 20 anos no ar. A estrutura dos episódios se divide entre a investigação dos crimes em uma cidade desafiadora e, depois, seu julgamento na corte, com foco nos promotores e em suas tentativas de incriminar os réus. O fenômeno é tamanho que já ganhou versões britânica, francesa e russa.

Um Amor de Família / Married… with Children

Desprenda-se do Ed O’Neil de Modern Family: ele não tem nada de parecido com Al Bundy, seu personagem em Um Amor de Família. A sitcom segue a figura de Al, um vendedor de sapatos fracassado, sua esposa dona de casa, a filha bonita e pouco inteligente e o filho nerd e impopular. Apesar dos estereótipos fortes e de seu humor escatológico e até sexual, o seriado foi pioneiro ao retratar, pela primeira vez, uma família fracassada e infeliz na TV americana.

Ellen

Antes de ser uma apresentadora de sucesso, Ellen DeGeneres teve sua própria série — que, diferente da maioria das sitcoms, mudou totalmente por conta de um único capítulo. Até então, Ellen era só a dona excêntrica de uma livraria com amigos engraçados. Com “O Episódio do Filhotinho”, a emissora queria que Ellen arranjasse um cachorro, já que estava insatisfeita com a falta de relacionamentos amorosos da personagem. Ellen aproveitou o capítulo para se assumir como lésbica em cena e fora das telas.

Spin City

Tempos depois de protagonizar a trilogia De Volta Para O Futuro, Michael J. Fox viveu um vice-prefeito na comédia política Spin City. Foi seu primeiro trabalho após uma espécie de aposentadoria devido à sua batalha contra o Mal de Parkinson. A produção ainda contava com um personagem negro gay, algo raro na época. O carisma de Fox era inegável, mas o ator precisou sair da série; na sequência, Charlie Sheen (Two And A Half-Men) assumiu o posto de novo vice-prefeito.

Twin Peaks

Quem matou Laura Palmer? A investigação e o mistério por trás disso cercava Twin Peaks, fruto da mente excêntrica de David Lynch. De fato, o seriado foi um dos mais estranhos da década de 1990, mas revolucionou a TV por fugir de suas fórmulas batidas, dando espaço a personagens que não buscavam qualquer senso de moral. Era até difícil categorizá-lo em algum gênero, já que alternava entre áreas como drama, humor, surrealismo, suspense e até mesmo terror psicológico.

Xena, a Princesa Guerreira / Xena: Warrior Princess

A série que tem de longe um dos finais mais chocantes de todos os tempos foi ao ar pela primeira vez em 1995 e terminou em 2001. A trama é uma fantasia histórica que se passa na Grécia antiga onde Xena, uma ex-assassina, é levada para uma missão que tem como intuito limpar seu passado sangrento.

Aproveite para relembrar TOP 100 desenhos animados dos anos 80 e 90. Qual era o seu favorito? 

Top 100 desenhos que marcaram sua infância

Compartilhe!

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.