10 revelações bombásticas da infância nos anos 80 e 90

Você está preparado para saber 10 revelações polêmicas para todos aqueles que cresceram nos anos 80 e 90?  Depois nos conte qual foi a mais chocante para você!

1. He-Man foi criado para vender bonequinhos encalhados do Conan

No anos 1980, a Mattel adquiriu os direitos de produzir bonecos do filme Conan, O Bárbaro. Mas, o produto encalhou, pois os pais acharam a história muito violenta. Para não ficar no prejuízo, a empresa inventou a linha de bonecos “Mestres do Universo”, trocando a cabeça de Conan pela de He-Man e outros personagens. É por isso que todos eram tão bombados, já que Conan foi interpretado por Arnold Schwarzenegger! Por essa você não esperava, né?

2 – A Barbie foi inspirada em uma boneca inflável

A primeira edição da Barbie, lançada em 1959, foi baseada em uma boneca erótica alemã, a Bild Lilli Doll. A semelhança era tanta que a fabricante Mattel precisou pagar indenizações.

3 – Pinóquio, além de mentiroso, é assassino!

Na obra de Carlo Collodi, Pinóquio é um péssimo filho. Ele foge assim que aprende a andar e deixa Gepeto ser preso pela polícia, por abuso infantil. O Grilo Falante tenta avisar que a desobediência é perigosa, mas o menino mata o inseto a pauladas! A previsão do Grilo se concretiza e o boneco chega a ser enforcado por uma raposa e um gato, a caminho do teatro de marionetes, mas consegue sobreviver.

4 – Saída de Seu Madruga acabou com Chaves

As brigas entre Carlos Villagran (Kiko) e Roberto Bolaños (Chaves) já são famosas. Mas, a série acabou não quando Villagran foi expulso, mas sim quando Ramon Valdés (Seu Madruga) decidiu largar o show, em solidariedade ao amigo. Chaves resistiu por mais nove meses, entretanto Seu Madruga era essencial: pai da Chiquinha, rival da Florinda, paixão da Bruxa do 71, vítima do Senhor Barriga e figura paterna do Chaves.

5 – Os atores de Power Rangers ganhavam tanto quanto um funcionário do McDonald’s

Segundo Austin St. John (o Ranger Vermelho), o cachê do sexteto principal na primeira temporada equivalia ao de um atendente do McDonald’s. Eles trabalhavam 15 horas por dia, seis dias por semana, sem contrato nem filiação a sindicato. Não por acaso, a relação do grupo com o criador do show, Haim Saban, não é das melhores.

6 – Assoprar fitas de videogame podia estragá-las

Nos anos 80 e 90, quando um cartucho de videogame “dava pau”, o truque era soprar a parte externa do circuito. No entanto, uma pesquisa revelou que isso não ajudava em nada – e podia até piorar o defeito!

7 – As crianças de Carrossel fumavam nos bastidores

Em uma entrevista de 2016, Gabriela Rivero, que interpretava a querida Professora Helena, contou que, por trás das câmeras, a novela mexicana de 1989 não era tão pura assim. Com apenas 8 anos, o ator Pedro Javier Viveros (sim, o ingênuo Cirilo!) roubava cigarros de sua bolsa e levava para os coleguinhas fumarem nos camarins.

8 – Comandos em Ação e Rambo usavam armas “laser” para driblar a censura

Nestes desenhos dos anos 1980, tanques, bombas e jatos se assemelhavam à tecnologia da época, mas as armas atiravam laser, como se fosse Star Wars! (E o raio nem machucava quando atingia alguém.) Isso porque, se disparassem balas “reais”, o sistema de classificação etária nos EUA os proibiria para crianças, por considerá-los muito violentos.

9 – A Família Dinossauro morre no último episódio

Na conclusão da série, exibida em 1994 nos EUA, os protagonistas foram “extintos”, mas não por causa de um meteoro. Descubra o motivo real: o patriarca Dino tenta, sem sucesso, solucionar um desastre ambiental. Na cena final, resta à família assistir à chegada de uma Era Glacial pelo telejornal. O âncora se despede com um adeus, a câmera vai se afastando e mostra a casa dos Silva Sauro sendo encoberta pela neve.

10 – Bozo apresentava seu programa drogado

O ator Arlindo Barreto, que interpretou o palhaço no SBT entre 1984 e 1986, revelou em uma entrevista que usava cocaína para aguentar as oito horas de filmagens diárias. Ele chegou a gravar com algodões no nariz para evitar sangramento (consequência do consumo do pó). “Eu adorava ser o Bozo. Só que não conseguia ter toda aquela alegria sem usar drogas”, contou.

Fonte: Revista Super Interessante

Compartilhe!

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *